domingo, 7 de março de 2010

Inglorious Basterds

Uma bosta!

No linguajar de Reservoir Dogs¹ :

What the fuck do you think you're doing, Tarantino?

Algo aconteceu com o famigerado diretor, e não foi bom.

Eu particularmente, apesar de não entender porra nenhuma de cinema, sempre achei que o Samuel Rosa Tarantino fosse autor de algumas obras primas da telona.

Se esse fosse um blog bem visitado, creio que, depois deste post, ficaria cheio de comentários dessas criaturinhas cult (meio intelectuais, meio de esquerda) que frequentam bares alternativos e usam óculos com aros grossos de cor preta.

"Ah! O que ele faz é pop!"

"Os filmes dele não são arte!"

"Ai! Eu acho que o que o Tarantino faz não passa de um reflexo subjetivo da existência intrínseca ao cu da galinha. O que nos remete..."


[...]



Fodam-se! (Antes que eu me esqueça)
Fodam-se vocês e seus all stars xadrez!
Fodam-se suas peças de teatro sobre hindus que correm atrás de vacas que, por sua vez, pensam que são cachorros²!



[...]



Filmes como Reservoir Dogs, Pulp Fiction e Kill Bill não são vistos todo dia, muito menos produzidos por qualquer um.

[...]

Sobre Jack Brown... Bom, é muito melhor do que esse tal Inglorious Basterds!

Inglorious tá muito acima de muito Titanic por aí. Contudo, eu por exemplo, me animei mais com o Herbie, da "global" Temperatura Máxima de hoje, do que com a mais nova cagada do Tarantino.

Considerações a serem feitas:

O Jewish Hunter é um bom personagem (ou um bom ator).
O gatão Brad Pitt também impressiona na interpretação. Principalmente quando interpreta Aldo Raine interpretando Enzo Girolami.
O sadismo do Bear Jew é engraçado. Tarantinamente engraçado.

No mais era isso. A trama não é lá aquela coisa e se me dissessem que um alien shapeshifter sem talento cinematográfico raptou Quentin e fez este filme, eu acreditaria sem a necessidade de nenhuma prova concreta.

Difícil é provar que tenha sido realmente o Tarantino que tenha feito este filme!

Depois de tudo isso, vi minha Sorte de Hoje.

Sorte de hoje: Quando as pessoas falam, ouça com atenção. A maioria das pessoas nunca ouve

Já disse um grande amigo meu, professor de língua portuguesa e filósofo (também) nas horas vagas (sim, aquele mesmo do pão e das estatísticas):

"Este filme está há um terço do que Tarantino pode fazer."



He was fuckin' right!



[...]


Firuuuuuuu!!!³

Next
!






¹Cães de Aluguel
²Acabei de ver isto em Before Sunrise.
³Uma onomatopéia que eu criei para aquelas maquininhas que "bipam" as senhas de banco, mercado, panificadora ou, até talvez, de alguma espécie de prostíbulo muito movimentado.

8 comentários:

Eduardo R. Schmitz 8 de março de 2010 00:09  

Bem... esse foi o filme em que eu mais ri ano passado.
Nada como ver um alemão se cagando de medo de um cara com um taco de baseball dentro de uma caverna.

Esse filme está classificado para mim como "Humor negro de alto nível", mas somente.

Rafael 8 de março de 2010 02:26  

Pra mim o filme é excelente e se manteve no estilo Tarantino que todo mundo conhece.

Tarantino é mal compreendido até por fãs dele. As pessoas precisam sacar que o negócio dele é experimentar generos diferentes para seus filmes, usando algumas influencias de generos que ele gosta. É o que ele sempre fez, se vc parar pra analisar cada filme, e é o que vai continuar fazendo nos próximos. E alguns fãs vão continuar achando uma bosta a principio e depois de anos vão colocá-lo num pedestal.

É um ciclo dos fãs de Quentin Tarantino.

Carvalho 8 de março de 2010 13:20  

Pode até ter o "estilo Tarantino que todo mundo conhece", mas, ainda assim, continua estando há um terço da capacidade do diretor.

Tenho acordo sobre as experiências do Tarantino. Isso é o que o faz diferente. Kill Bill é uma prova mais que concreta disto.

O grande problema é que desta experiência chamada Inglorious Basterds saiu um ornitorrinco. Um Psyduck daqueles!

Não que o Oscar seja parâmetro, contudo a estatueta de Christoph Waltz confirma a minha avaliação.

Sobre o ciclo dos fãs, só concordo contigo se levarmos em consideração que passei a gostar de Jack Brown depois de ter visto Inglorious Basterds.

Mas seria afimar que Tarantino vem piorando cada vez mais... o que não acredito (ou não quero acreditar!).

Douglas R. L. 8 de março de 2010 14:28  

Eu não entendo nada de cinema. Mas ouvi onte o José Wilker falar que o Tarantino é um sujeito sério e que ressuscitou aquele ator que dança o
John Travolta.

Carvalho 8 de março de 2010 15:21  

Não me entendam mal! Eu "adoro" (que gay isso...) o Tarantino!

Só acho que o último filme dele é uma bosta!

Dr.Gonzo 9 de março de 2010 14:45  

1. Tarantino nunca foi fodão
2. Tarantino não é fodão
3. Tarantino quiçá será fodão

Apontamentos:
A primeira cena saiu d'Mágico de Oz
Brad Pitt é o Brando de Godfather
O roteiro começa com um faroeste, passa por um gangsta e termina como um filme do Tarantino.
Ou seja, igual a todos os outros filmes do Tarantino.

Detalhe: Essa porra toda tem mais de duas horas e meia.

Carvalho 9 de março de 2010 15:39  

Agora tá bão!
Dr. Enjaculação gonzando do Tarantino aqui no meu Blog.
Que ponrra é essa!?



P.S.: Eu gonsto do Tarantino e acho ele "fodão".
O que também não significa porra nenhuma! Na verdade isso só tem a ver com o olho que o Tarantino representa na terra de cego que é o meu conhecimento cinematográfico.

Postar um comentário

  © Original Blogger template PingooIgloo re-designed to BLOGBUSTER by Oak Blogger XML Skins 2009

Back to TOP